Do more on the web, with a fast and secure browser!

Download Opera browser with:

  • built-in ad blocker
  • battery saver
  • free VPN
Download Opera

Opera e o negócio da China

  • Existe o Oupeng, que é uma edição especial do Opera Mini para a China feito a partir de uma joint venture entre a Opera e a Telling Telecom (chamada de nHorizon Innovation (Beijing) Software Ltd).

    Ele foi lançado há muito tempo e por isso o Leo não deve ter lembrado, eu me lembro que trazia facilidades para os chineses que o Opera Mini da época não era capaz. Por exemplo o Opera Mini só podia ter 9 Speed Dials, já o Oupeng permite muito mais entradas o que é "essencial" para que os chineses pudessem adicionar sites e assim não terem que ficar digitando todos aqueles caracteres complicados no teclado do telefone quando querem acessar sites. Entre outros recursos (notícias locais, cliente de Weibo - o "Twitter" de lá - integrado, ...).

    legislações ou costumes fora dos padrões noruegueses

    Se eu não me engano a Opera Software é obrigada a ter servidores especiais para Mini ou Turbo pra países que bloqueiam certos sites (China e acho que Paquistão ou algum outro árabe...) senão a conexão do "proxy" permitiria o acesso. É uma coisa que eles não têm escolha, nem a Google escapa disso: ou adere ou sai do país.

    É esse o máximo que um governo consegue "mandar" na empresa, rs, eu acho por exemplo que um chinês pode criar uma conta Opera e utilizar a sincronização e esses dados são armazenados/transmitidos na Europa com criptografia e padrões de privacidade noruegueses.

  • Sinceramente, a primeira vista, não vejo com bons olhos essa venda aos Chineses, não por vazamento de dados etc., por isso o Governo Americano é campeão, mas pela ideologia chinesa, essa ideia comunista, de restrição a liberdade e inconstancias nas empresas que adquire.

    Este seu ponto-de-vista coincide bem com o de uma postagem que eu tentei traduzir, logo no início Esta postagem, a 1ª tradução de duas e que, particularmente, acho a mais bem estruturada e válida para situar a coisa toda.

  • Ele foi lançado há muito tempo e por isso o Leo não deve ter lembrado

    Na verdade eu desconhecia o fato mesmo.

  • Resposta "flag...ada" em andamento. Espero que não se torne "flag...elada".

  • Existe o Oupeng, que é uma edição especial do Opera Mini para a China feito a partir de uma joint venture entre a Opera e a Telling Telecom (chamada de nHorizon Innovation (Beijing) Software Ltd).

    Muito grato pela resposta. Isto é uma pergunta que eu fiz, já sabendo que a resposta seria sim. Eu queria apenas confirmar se a Opera teve ou ainda tem. Que pelo menos teve, já eram favas contadas. Isto, porque nada é secreto nem sigiloso. Está escancarado na pesquisa Google que efetuei e que me trouxe, entre as respostas, um tópico datado de 2008, em que se anuncia uma nova versão do "Opera - versão chinesa" e, agora não sei se foi noutro tópico, ou neste mesmo, um comentário de um postante indiano, dizendo que a distribuição desse Opera chinês para a Índia seria muito bem vinda para ele.

    Se eu não me engano a Opera Software é obrigada a ter servidores especiais para Mini ou Turbo pra países que bloqueiam certos sites (China e acho que Paquistão ou algum outro árabe...) senão a conexão do "proxy" permitiria o acesso. É uma coisa que eles não têm escolha, nem a Google escapa disso: ou adere ou sai do país.

    É outra resposta que eu contava com um sim quase certo. O fato de que a Opera tivesse software(s) sob a regência de outras leis e outros costumes seria natural consequência de ter uma versão conduzida diretamente por uma "joint-venture" com uma firma chinesa. Desde que mantivesse essa legislação e costumes restritos a esse produto da "joint-venture". Que naturalmente foi aplicado, como é óbvio que foi e está sendo.

    Isso aumenta a credibilidade do postante posto sob suspeita. O convívio com a Qihoo e provavelmente muitas outras firmas chinesas já é coisa antiga -- e bem antiga mesmo. E esse relacionamento deve ter influenciado ter chegado a proposta chinesa que chegou e que foi aceita, seja intermediada principalmente pela Qihoo, seja por outra.

    Que negociações? O que o faz pensar que existiu ou existe alguma negociação?

    Eu não consigo imaginar um negócio efetivado sem ser precedido de uma negociação. Até a compra de víveres por uma dona-de-casa sugere uma negociação antes da compra. Para saber se o produto é novo ou já tem mais tempo, quanto custa, se não dá um descontinho.

    E mesmo que tenha sido o caso, o que o faz pensar que a Qihoo foi tão proeminente assim?

    Principalmente as pesquisas google de datas anteriores a 10 de fevereiro. Foi como interpretei tudo que li a respeito.

  • Eu não consigo imaginar um negócio efetivado sem ser precedido de uma negociação. Até a compra de víveres por uma dona-de-casa sugere uma negociação antes da compra. Para saber se o produto é novo ou já tem mais tempo, quanto custa, se não dá um descontinho.

    Ou a dona-de-casa pode simplesmente já saber de antemão sobre a procedência e qualidade do produto, bem como o preço e fazer uma oferta, ficando no aguardo da aceitação ou não da mesma.

    E ela, dona-de-casa, ainda pode negociar com o dono dos víveres, mas como fazer com algo que não tem um dono propriamente dito?

    Comprar uma S.A. não é como fazer compras no mercado.

    Principalmente as pesquisas google de datas anteriores a 10 de fevereiro. Foi como interpretei tudo que li a respeito.

    Pesquisas sobre....?

  • Isso aumenta a credibilidade do postante posto sob suspeita. O convívio com a Qihoo e provavelmente muitas outras firmas chinesas já é coisa antiga -- e bem antiga mesmo. E esse relacionamento deve ter influenciado ter chegado a proposta chinesa que chegou e que foi aceita, seja intermediada principalmente pela Qihoo, seja por outra.

    A Opera tem pareceria com diversas empresas e existem versões personalizadas de seus produtos espalhadas pelos quatro cantos do mundo. O fato de existir uma versão modificada de um produto Opera para atender a um publico específico não comprova - e nem desmente - que exista uma convivência antiga da Opera com uma de suas possíveis compradoras e nem que estas já venham negociando há tempos a venda.

  • Ou a dona-de-casa pode simplesmente já saber de antemão sobre a procedência e qualidade do produto, bem como o preço e fazer uma oferta, ficando no aguardo da aceitação ou não da mesma.

    Fica no aguardo? De quê? Da resposta à proposta!!! E que é essa proposta se não uma parte da negociação? Se você não aceitar isso, aí eu desisto. :lol:

    A única compra sem negociação que me vem à mente é daquelas Coca-Colas que ficam num refrigerador com uma fenda para você pôr uma moedinha e a Coca rolar para a sua mão.

    Pesquisas sobre....?

    Naturalmente sobre a proposta que acabou se efetivando.

    Comprar uma S.A. não é como fazer compras no mercado.

    Você, às vezes, não quer largar o osso, não é? E quem é que disse que é?

  • A Opera tem pareceria com diversas empresas e existem versões personalizadas de seus produtos espalhadas pelos quatro cantos do mundo. O fato de existir uma versão modificada de um produto Opera para atender a um publico específico não comprova - e nem desmente - que exista uma convivência antiga da Opera com uma de suas possíveis compradoras e nem que estas já venham negociando há tempos a venda.

    Desisto!

  • Fui enveredando por desdobramentos que acabaram por me afastar do meu propósito inicial ao abrir este assunto: se a venda passar por todos os trâmites por que tem que passar e for "sacramentada", eu ter isso em destaque.
    Ocorrido isso, o navegador será retirado do meu sistema.

    Entretanto, eu ter-me envolvido em alguns desses desdobramentos, não deixou de ser-me útil. Fortificou -- e muito -- essa decisão, justificou-a muito para mim mesmo. Mantê-lo relacionado ao fórum em inglês -- o principal -- julguei muito elucidativo e alargador de ideias.

    A partir de agora, pretendo vir aqui apenas para verificar a chegada eventual desse acontecimento.

    Envolver-me com os desdobramentos que se apresentaram pode se tornar muito delicado e espinhoso. Não preciso de saber mais disso do que soube até agora.

  • Fica no aguardo? De quê? Da resposta à proposta!!! E que é essa proposta se não uma parte da negociação? Se você não aceitar isso, aí eu desisto.

    Sim, não deixa de ser uma negociação. E esta teve seu início naquele momento e não antes.

    Naturalmente sobre a proposta que acabou se efetivando.

    Tenho curiosidade sobre esses resultados. O que eles mostram exatamente? Digo, no sentido de demonstrar que a Opera já é praticamente chinesa há anos.

    Desisto!

    Rápido assim? 😃

    Bom, eu não acho que o fato da Opera ter lançado uma versão modificada do Mini em parceria com uma empresa chinesa - que parece ser uma operadora de telefonia celular - comprove ou torne mais verossímel o que o cara lá disse.

  • A resposta de um cavalheiro. Em homenagem a isso, ainda volto só esta vezinha. Também em homenagem ao Rafa. E a todos os que percorreram minhas extensíssimas exposições.

    Para encontrar certos resultados e não ser levado invariavelmente aos mesmos conteúdos, no Google, tive que ir variando as perguntas. Não foi fácil achar as formulações que, em alguns casos, me deram resultados satisfatórios. E depois de percorrer muitas páginas.

    Agora, não mais tenho motivação para repetir as pesquisas nem as aturadas leituras. Já voltei a me focar no que realmente me situa, como disse na postagem anterior.

    Alguma coisa que guardei na hora, vou passar a vocês. É pouco material, mas permitam-me limitar a isso. Se houver réplica, perdoem-me, mas não voltarei para treplicar.

    Especialmente para @rafaelluik, mas também para o Leo e demais interessados.

    A coisa é antiga e parece que a Opera chinesa acompanhava as versões do Presto


    Histórico na Wikipedia

    Qihoo e Baboo - os dois só rimam nos sons dos nomes

    Por último, os dois proscritos (apareceu um outro, para fazer coro). Dizem que o bom julgador por si julga. Nesse critério, tenho que defini-los como seres autênticos e intencionados com a verdade, embora possam estar equivocados. A me diferir do primeiro está apenas que eu nunca cheirei rinocerontes.

    Outro cavaleiro do Apocalipse

    Mais uma do Proscrito

    Até outra oportunidade, que não espero para breve

  • A coisa é antiga e parece que a Opera chinesa acompanhava as versões do Presto

    Tá mas isso é só uma versão do Opera. Ainda feita na Europa, sem envolvimento de qualquer empresa ou entidade chinesa, sem servidor na China...

  • Qihoo e Baboo - os dois só rimam nos sons dos nomes

    So um pequeno aparte sobre essa questão: Ok, a Qihoo enviou uma versão diferente daquela que é comercializada para o tal teste e isso é errado. No entanto, eu penso que quem fez o teste também errou ao utilizar produtos enviados pelos próprios "fabricantes" em vez de simplesmente adquiri-los como se fossem usuários comuns.

  • So um pequeno aparte sobre essa questão:

    Ai, ai, ai.

    Eu já li alguma coisa sobre os relatórios da AV. Tenho a impressão de que ela não pode analisar esses programas sem permissão do fabricante. Quando pemitem, deve ser praxe todas as examinandas enviar os próprios produtos. A Symantec não permite, está fora há vários anos desses exames. Ela deve receber de todos os fabricantes os produtos. Se não, as examinadas poderiam até alegar que o produto examinado foi adulterado, não seria autêntico. E má fé da AV, ou prevenção, porque recebe de todos os fabricantes e o da Qihoo foi obtido à parte?

    Não é para botar pitaco, eu realmente penso assim.

  • Uma das razões por que acho que a Qihoo tenha sido porta-voz do consórcio

    Segundo o wall street Journal, foi além de porta-voz, liderou

    Mas, mas ... fui...

  • Fui... mas voltei... por um brevíssimo momento:

    @rafaelluik

    Isto de julho de 2007 se refere à mesma joint-venture?

    Fui de novo, como um relâmpago que brilha, mas é efêmero. Não perdura.

  • Eu estava a pesquisar sobre essa Qihoo, e eis que encontro isso https://www.360totalsecurity.com/pt/privacy/, esse é um dos produtos dessa empresa. Reparem nas informações pessoais que eles recolhem 🇳🇴 . Deu um pouco de medo, rsrs.

  • Isto de julho de 2007 se refere à mesma joint-venture?

    Isso é mais antigo e não foi feita nenhuma joint venture com a empresa citada, só algum contrato normal mesmo...

    A Opera sempre teve várias formas de monetizar o seu navegador. Por exemplo criar versões personalizadas do Mini/Mobile para operadoras ou fabricantes de telefones sendo elas chinesas ou não, ou até mesmo vender o navegador de uma forma completamente nova como foi pra Nintendo usar no Wii e DS(i), Opera para TVs/set-up boxes...

  • Sim, grato. O boquirroto não é totalmente "descrível". Que não seja somente com os chins, mas são relacionamentos mais intensos, reais e antigos. Não é uma fantasmagoria, eu cá, você lá, ribeirão passa no meio.

    "If our owners ever change we'll still keep our Norwegian identity and views on web fairness. It's what makes Opera the browser the successful browser it is " - Ruth da Opera

    Isto é um sonho encantador. Tenho, porém, poucas esperanças de que os empregados possam se sobrepor às vontades e (maus) costumes do patrão. Malheuresement. "Empregado que não cumpre minhas vontades, rua!" ouvido há tempos de um conhecido, que era dono de uma empresa.

Log in to reply