Opera e o negócio da China

  • A fim de descongestionar o tópico sobre o Opera 35, que está uma verdadeira colcha de retalhos, tendo, no mínimo 3 assuntos extensos que poderiam ter sido desdobrados em novas entradas -- e isto não é uma crítica, somente uma constatação --, abro este novo assunto. Que não sei se se manterá...

    O objetivo é que quem ficar sabendo de algo mais recente e instigante, possa ir apondo aqui, destacadamente, e não misturado a outros assuntos. E, particularmente, o andamento e o desfecho das negociações.

    No fórum geral, em inglês, descobri um tópico específico e não pesquisei muito mais, o que ali vi, em matéria de aceitação e rejeição, me satisfez razoavelmente.A Venda do Opera.

    As opiniões que mais me impressionaram foram duas: na primeira, o postante declarandoc que, receber um artigo qualquer da China pelo correio é uma coisa, ter um software chinês baixado para o computador dele é outra. A segunda é uma manifestação sobre uma das componentes chinesas das negociações ser uma firma notoriamente envolvida em escândalos através dos anos; e a maneira de os chineses considerarem os direitos dos usuários dos outros países, totalmente diferente do modo ocidental. Por isso estaria excluindo a conta da Opera logo depois de encerrada sua postagem e migrando para o Vivaldi. E formulando os melhores votos para os que escolhessem ficar.

    Como espero que outros venham a fazer, declaro minha pretendida atitude, que dificilmente mudarei, e que é, fechado o negócio, o Revinho vai entrar em cena, com todo o pesar que me virá. Esses dois últimos dias, até senti-me adoecer, sentindo forte impacto.

    Já está como meu navegador padrão o Chrome, que, bastante semelhante, servirá, talvez, para amenizar a falta. Não conhecia navegadores fora do Opera e um da Microsoft, o que tem sido meu costume, jamais antes mudado. Estou-me surpreendendo favoravelmente com o Chrome que tem outra vantagem, a compatibilidade com meu sistema de segurança.

  • Chrome, eu heim! Prefiro usar algo chinês mesmo (Maxthon é uma boa escolha) do que essa fábrica de espionagem e sugadora de processamentos da Google. Acho radicalismo as pessoas já se revirarem tanto assim por algo que ainda nem sabemos em que nos afetará no futuro, se é que afetará o usuário final. Eu só torço para que eles mantenham o padrão do Opera, não fazendo-o tornar um Spark ou UC Browser da vida... Eu ficarei com o Opera até achar que daí sim não dará mais pra manter a relação, mas por enquanto não vejo motivos radicais para a troca.

  • Eu só torço para que eles mantenham o padrão do Opera, não fazendo-o tornar um Spark ou UC Browser da vida... Eu ficarei com o Opera até achar que daí sim não dará mais pra manter a relação, mas por enquanto não vejo motivos radicais para a troca.

    Você disse tudo, se eles mudarem completamente ou deixar igual a esses navegadores que você citou, vai dar ruim. Maxthon é muito bom como navegador não uso pelo fato da configuração do pc, chrome anda muito pesado até pra quem tem 4 gb por exemplo.

  • Se as coisas no Vivaldi continuarem progredindo no mesmo ritmo, mais cedo ou mais tarde abandonarei o chropera de qualquer jeito. Então nem faria diferença pra mim se estragassem o chropera.

  • Então nem faria diferença pra mim se estragassem o chropera.

    Já, para mim faria diferença. Atualmente eu o considero melhor do que o Presto 12.17, já agora l2.18. Isto, por causa de muitos acréscimos e aperfeiçoamentos que se lhe foram acrescentando, desde o terrível lançamento da versão 15. Também por haver reconsiderado meu modo de apreciar e usar navegadores. Mais compatível com a tecnologia e usos de hoje. Muito mais prático. O desconforto, despeito e revolta que senti pela mudança Presto>Chromium/Blink atual, foram sendo debelados, pois, não dizer que é um excelente navegador, que repôs bastante do que antes havia, seria deixar que esses sentimentos iniciais com a mudança se mantivessem por si mesmos, cegando-me e me endurecendo-me numa intransigência irracional.

    Comparando-o agora ao Chrome, que não conhecia, há muito mais semelhanças do que diferenças entre eles. Realmente, pouco falta para ser um clone, muito pouco, a meu ver. No entanto, dois aspectos me fariam sempre usá-lo em preferência ao outro. Tradição de uso e o afeto daí gerado. E estar em mãos de um proprietário muito menos sôfrego de dados dos usuários, já que não é uma gigante multifacetada como o Google. Ainda, um terceiro aspecto: a interface me parece mais maneira de conduzir.

    Mas, lamento dizer, a China não vai deixar continuar. E, dentre os males que agora tenho, IE 11, Edge, Firefox, o Chrome me parece não a melhor, mas a menos má alternativa. E só não digo boa --e muito boa -- alternativa, por causa do entorno.

  • do que essa fábrica de espionagem e sugadora de processamentos da Google.

    A respeito de espionagens e condutas, cito duas postagens contidas no site a que acima me referi.

    O primeiro postante a que me refiro, declara que está de acordo com a opinião de um anterior que diz que se cremos que o governo dos Estados Unidos e do Reino Unido não estão nos espionando, estamos delirando. E completa, afirmando que o Windows 10 é um exemplo disso.

    Em seguida, desenvolve sua apreciação a respeito:

    A questão é que uma empresa americana tem de seguir as leis norte-americanas. Uma chinesa, as leis chinesas e não se pode negar a censura e todas as outras besteiras que estão acontecendo. Pode-se dizer sobre a América o que quiser, mas tem-se ainda a liberdade de expressão para fazer isso, e isso é algo que simplesmente não se tem na China. Mesmo que o Opera seja um produto para uso internacional, terá que ser modificado para satisfazer o governo chinês e se algumas mudanças são contra as leis do país em que o usuário vive, bem, boa sorte para vê-los se incomodar com isso. É um produto chinês agora e a China é tudo o que importa. Todo o resto é secundário. O texto original da postagem

    Segue-se uma outra, logo em sequência imediata, que a complementa, de outro usuário:

    A espionagem da Microsoft, Google ou mesmo do governo dos EUA é completamente diferente da de uma empresa chinesa. O que uma empresa chinesa vai fazer é roubar suas senhas, informações de conta bancária etc (o que é improvável de ser feito pelo Google, o Facebook ou o governo dos EUA, eles não têm interesse na pequena quantidade de dinheiro em sua conta bancária, no fim de tudo). Uma empresa chinesa pode descatar a Opera Inc depois que adquiriu a tecnologia de compressão de dados, ou pode incluir algum vírus ou malware na nova versão do navegador Opera.O texto original desta outra

  • Maxthon é muito bom como navegador

    Na última vez em que o testei, o Maxthon usava uma versão do Chromium de praticamente um ano antes. Ou seja, um ano atrasado em termos de atualizações de segurança.

    E o navegador em si também não me agradava, achava que tinha coisa de mais nele. Fora o fato de ser um tanto quanto enganador.

  • Se as coisas no Vivaldi continuarem progredindo no mesmo ritmo, mais cedo ou mais tarde abandonarei o chropera de qualquer jeito. Então nem faria diferença pra mim se estragassem o chropera.

    Vivaldi parece ter dado uma melhorada mas, hoje, ainda não me agrada. Pode ser que o futuro mostre que estou enganado mas, no momento, vejo o Vivaldi muito mais como uma repetição do passado do que algo pensado no futuro.

  • O que uma empresa chinesa vai fazer é roubar suas senhas, informações de conta bancária etc

    Isso soa muito mais como "pré-conceito" do que qualquer outra coisa para mim.

    Existem empresas chinesas criadas para roubar as pessoas? Certamente, assim como existem empresas assim aqui no Brasil e em qualquer lugar do mundo.
    Só que essas empresas duram pouco, já que seu tempo de vida é apenas o tempo necessário para aplicar o golpe.

    Empresas sérias são basicamente iguais no mundo todo: buscam oferecer bons produtos e serviços para seu público-alvo, possuem boa governança, etc.

    Como disse antes, acho que é preciso esperar para ver. No momento não há nada além de especulações sobre o que pode acontecer no futuro.

    Só acho que vale lembrar que enquanto a Opera Software for sediada na Noruega, precisa cumprir as leis daquele país e da Europa com relação a privacidade, dados pessoais e etc.

  • Mas, lamento dizer, a China não vai deixar continuar.

    E o que o faz pensar assim?

  • Já, para mim faria diferença. Atualmente eu o considero melhor do que o Presto 12.17, já agora l2.18. Isto, por causa de muitos acréscimos e aperfeiçoamentos que se lhe foram acrescentando, desde o terrível lançamento da versão 15

    O Opera 15 foi praticamente como uma versão 1.0, só com o básico do básico mesmo para se navegar na web. Depois, assim como aconteceu com o Opera Presto, foi ganhando recursos, aprimoramentos e chegou ao ponto em que está hoje.

    E continuará a ser aprimorado e a ganhar recursos, se desenvolvendo e sendo preparado para o futuro. Com erros e acertos, como toda preparação, como todo aprendizado.

  • Isso soa muito mais como "pré-conceito" do que qualquer outra coisa para mim.

    Há uma resposta "bandeirada" em curso.

  • Mas, lamento dizer, a China não vai deixar continuar.
    E o que o faz pensar assim?

    Para situar bem, o que quis dizer é que a China não vai-me deixar continuar. Isso é uma reação idiossincrásica, não se baseia em aspectos muito tangíveis. Há algo me premindo a espinha. E isso deverá guiar minha decisão.

  • Isso soa muito mais como "pré-conceito" do que qualquer outra coisa para mim.

    Nunca deixando de ser grato especialmente a você. Tudo que fiz constar naquela postagem foi apenas para tentar expor diferentes visões de terceiros e em âmbito mais dilatado do que o Brasil. Tentei dar uma colher de chá, fazendo toscas traduções, para incentivar mais vista d'olhos sobre diferentes repercussões. Eximo-me de as subscrever como de as condenar, isto é, não fiz juízo de valor.

  • Isso soa muito mais como "pré-conceito" do que qualquer outra coisa para mim.

    Eximo-me de as subscrever como de as condenar, isto é, não fiz juízo de valor.

    Porém, no caso, se fosse fazer, penderia muito mais para suas argumentações do que pela exposição que as gerou.

  • No reduto dos adeptos do Presto, desses admiráveis seres, pintou uma suspeita conspiratória de que a versão Presto, recém-criada, 12.18, já tenha tido mãos chinesas envolvidas. :lol:

  • No reduto dos adeptos do Presto, desses admiráveis seres, pintou uma suspeita conspiratória de que a versão Presto, recém-criada, 12.18, já tenha tido mãos chinesas envolvidas.

    A 12.18 é anterior a tudo isso, é o que posso dizer.

    E a possível venda nem foi concretizada ainda.

  • Isso soa muito mais como "pré-conceito" do que qualquer outra coisa para mim.

    Eximo-me de as subscrever como de as condenar, isto é, não fiz juízo de valor.

    Porém, no caso, se fosse fazer, penderia muito mais para suas argumentações do que pela exposição que as gerou.

    Apenas quis dizer que, na minha opinião, se os supostos compradores fossem de outro país, as atitudes e comentários de algumas pessoas talvez fosse diferente.

  • não estou dizendo q seja o caso de alguém aqui, mas vejo na internet gente falando mal de empresas e softwares chineses pq o sistema enfiou na cabeça deles que lá são todos mauzinhos por causa do sistema político e q no "ocidente" são todos bonzinhos por causa da "democracia" e da "liberdade".

  • A 12.18 é anterior a tudo isso, é o que posso dizer.
    E a possível venda nem foi concretizada ainda.

    Foi, mais ou menos em síntese, o que observou o Blackbird71, em arrazoado magnífico, como lhe é habitual. A postagem que deu origem estava mais para "azaração".

Log in to reply
 

Looks like your connection to Opera forums was lost, please wait while we try to reconnect.